25 de fevereiro de 2015

Bolo de Chocolate no Microondas







Alguns dos nossos hábitos com o passar dos anos,  tornam-se naquela rotina que não deixa ver, mais além... e  surgem as tendências, as novas tecnologias, e por vezes há relutância em aderir a essas inovações, e sem explicação...

Poderá ser, a teimosia, a desconfiança ou o comodismo dos hábitos... mas vencidos os medos, a obra nasce e sentimo-nos muito bem.





Ainda não tinha cozinhado nada doce no microondas. Receitas.. vi muitas, mas anida não me tinha proposto a experimentar, e, um empurrãozinho...  fez o clic, e nasceu esta delícia!

Estava num estabelecimento que abriu recentemente, na zona onde resido, já na caixa de pagamento e conversando com a proprietária e minha seguidora, diz-me com agrado. -Tenho uma receita para si: um bolo original, de fácil de preparação e é cozido numa caixa de plástico com tampa. Comprei ali mesmo a caixa e vim logo para casa... experimentar !!






Ingredientes

125 g de chocolate de culinária
125 g de manteiga
125 g de açúcar
125 g de farinha com fermento (adicionei, mais 1 colher de chá de fermento em pó)
4  ovos, categoria L

Vai necessitar de uma caixa plástica com tampa, para uso de microondas

Preparação 
  • Coloque na caixa de plástica, a manteiga e o chocolate partido em pequenos pedaços e leve a derreter no microondas. 
  • Verifique para que não aqueça demasiado, só o suficiente para que o chocolate derreta.
  • Adicione a esta mistura o açúcar e mexa bem, de seguida acrescente a farinha envolvendo toda a mistura.
  • Finalmente, junte ao preparado um ovo de cada vez, mexendo e envolvendo após cada adição. 
  • tape a caixa, abra o respirador e leve ao microondas. A temperatura não me foi indicada mas, depois de fazer o primeiro bolo quase no máximo, e ter ficado ligeiramente seco, alterei no segundo (que é este),  para  um pouco só, acima da temperatura média. Ficou muito fofo.
  • Convém testar com palito para não ter surpresas, cada marca de aparelhos têm as suas  caraterísticas e pode haver diferenças. 
  • Desenforma muito bem, mas deixando na caixa até amornar vai beneficiar a textura do bolo






Esta segunda experiência ainda não era para ser fotografada, preparei-a para um almoço de família. A minha neta mais velha, já foi minha fotografa há algum tempo, mas por vezes ainda lhe peço que fotografe. Para este, como a N estava no sofá, as fotos, ficaram meio em viés







Esta é a caixa plástica que me serviu de forma para o bolo.










17 de fevereiro de 2015

Doce de Abóbora



































Faço sempre doces, compotas e outros, mas o doce de abóbora não pode faltar no meu refúgio de compotas. Como só passado dois meses se deve consumir, abri dois frascos e provei... aromas de especiarias que escaparam, para nosso regalo !! 






























Ingredientes

1 kg de abóbora moganga ou  menina 
850 g de açúcar
1 laranja
1 limão
1 pau de canela
2 cravinhos




Preparação

Depois da abóbora descascada e limpa de filamentos e pevides, corte-a em cubos. Pese nesta altura.
Deite o açúcar no tacho e regue-o com um pouco de água. Leve ao lume, limpe a espuma escura e deixe ferver até obter ponto assoprado forte (115ºC). Nesta altura junte os cubos de abóbora, a casca do limão, a raspa da casca de laranja e o sumo da laranja e do limão. 

junte ainda, se gostar, a canela e os cravinhos. Deixe cozer a abóbora até ficar translúcida e se esmagar facilmente (Não esmague a abóbora.) Retire a espuma, escorra a abóbora com uma escumadeira e deite-a nos frascos. Deixe o xarope ferver até atingir o ponto de cabelo (106ºC). Tapa os frascos e guarde em sítio escuro e fresco. Consuma só passados pelo menos 2 meses.























Esta é a minha participação Leonor, para o desafio do 2º aniversário do teu blog. 
Muitos anos de sucesso e espero que gostes do doce de Abóbora.



1 de fevereiro de 2015

Cannelloni de Mussarela


























Depois de alguma ausência... volto a participar numa edição de, Dia Um...Na Cozinha !!






As escolhas aqui selecionadas, são sempre uma ótima surpresa e belos desafios que proporcionam momentos memoráveis. Por tudo isso, deixo o meu agradecimento para as nossas mentoras, e a todos os participantes deste projeto.

Esta é a minha participação!!




E uma escolha que me fascina. Adoro canelones, com legumes, frutas e frutos secos, queijos...








Ingredientes

250 g de espinafres limpos
10  nozes
1    maçã grande
4   rabanetes
150 g de queijo mussarela
4   colheres de sopa de azeite
1   dente de alho, grande e picadinho
1   malagueta (opcional)
10 tomate cherry
1   pequeno raminho de hortelã
750 ml de molho bechamel
Sal  

Preparação
  • Branquear os espinafres por breve momentos, arrefecer em água fria, escorrer bem e picar grosseiramente.
  • descascar a maçã e cortar em pedaços pequenos.
  • Cortar os rabanetes em pequenos quadrados.
  • descascar as nozes e partir a gosto
  • Fatiar o queijo mussarela

  • Numa frigideira deite o azeite e coza o alho ligeiramente. Adicione os espinafres e envolva no azeite, acrescente a maçã, os rabanetes e a malagueta, mexa e deixe em lume brando por 7 a 8 minutos, junte as nozes e metade do queijo em pequenos pedaços, envolva, desligue o lume e reserve.
  • Coza cada folha de lazanha por 5 a 10 minutos e ponha dentro duma taça com água fria.
  • Cubra o fundo da assadeira que levar ao forno com molho bechamel, e ao restante  acrescente a hortelã bem picadinha.
  • Retire e escorra cada folha de lazanha, coloque sobre um pano e disponha duas colheres de sopa de legumes uma fatia de queijo e uma tirinha de malagueta. Faça pressão ao enrolar e coloque-os na assadeira.
  • Cubra com o restante molho, bechamel de hortelã, e leve a gratinar.






  

28 de janeiro de 2015

Bolo de Abóbora e Laranja







Hoje, vou partilhar este bolo no passatempo, "2 anos de Ponto de Rebuçado - Receitas". Que Maria João festeja com seus amigos e seguidores !!
O ultimo trimestre deste ano foi muito atribulado e as poucas compotas que preparei foram fora de tempo e a abobora que me foi oferecida para o meu doce preferido, deu-me a oportunidade de fazer este magnífico bolo.

Estava a fazer compras numa grande superfície, e dirigia-me para o lugar das farinhas quando fui abordada por uma jovem que publicitava a Maisena, trocamos conversa e acabei por trazer a Maisena que estava em promoção... e um livrinho com receitas de oferta





Folhe-ei-o, e neste bolo atraiu-me a lista de ingredientes, continha abobora que adoro e o aspeto era tentador. Por coincidência, tinha a que me foi oferecida, que é uma variedade também excelente para bolos, tem um aroma perfumado e desfaz-se ao ralar de tão macia, e o  meu palato agradeceu a escolha.

Regalavam-me os aromas que escapavam do forno e deixando-me ansiosa... querer ver se estava a crescer, a dourar e o momento decisivo... saber se estava finalizado  para retirar do forno. Veio-o douradinho e tentador deixando o ar perfumado, o que conferiu leveza e conforto ao ambiente. Estava a experiência concluída... e nos futuros será tudo simples...




















Ingredientes

300 g de abóbora limpa
200 g de açúcar amarelo
4  ovos
100 g de vaqueiro liquida
1  laranja
200 g de farinha
100 g de amido de milho maizena
1  colher de sobremesa de fermento em pó
sal
50 g de miolo de noz
100 g de açúcar em pó

Preparação
  • Ligue o forno para 170ºC. 
  • Unte uma forma de mola com buraco e polvilhe com farinha.
  • Rale a abóbora no robôt de cozinha com o crivo mais fino. (pode usar o ralador manual)
  • Bata energicamente o açúcar amarelo com as gemas na batedeira até obter um creme fofo e esbranquiçado. junte a vaqueiro e misture bem.
  • Adicione a abóbora a raspa da laranja. Esprema a laranja e junte o sumo ao preparado anterior, reservando 4 colheres de sopa (sumo).
  • Junte a farinha peneirada com a maizena e o fermento em pó e misture sem bater.
  • Bata as claras em castelo bem firme e envolva-as delicadamente na massa.
  • Deite na forma, salpique com as nozes grosseiramente picadas e leve ao forno durante 45 minutos.
  • Misture o sumo reservado com o açúcar em pó. Desenforme o bolo para o prato de serviço e regue-o com o glacê de laranja.
Notas: Se deixar arrefecer o bolo, o glacê fica mais opaco, mas deitando a calda com o bolo ainda quente, vai proporcionar aromas e textura excelentes.


Bom apetite !!  













Esta a variedade de abóbora que gosto de utilizar!


detalhesmagicos






22 de janeiro de 2015

O Meu... Estrogonoff



































O meu strogonoff...  é fácil, e a carne fica muito suculenta !!

Strogonoff, um prato de origem russa que se tornou popular em todo o mundo. A receita é de fácil preparação. A confeção original é com carne bovina; o lombo, é o escolhido pela sua tenra textura.

Gosto também de a preparar com peito de frango, é muito tenro e confere ao molho um delicioso paladar. A carne de peru já se torna mais seca e de sabor inferior. Se utilizar carne de porco, terá de ter cuidados acrescidos para evitar que fique seca.


















Já preparo esta receita há muito... muito tempo e a segunda geração, também gosta muito!  


Ingredientes

500 g  de bife do peito de frango
3 dl     de natas de culinária
150 g  de manteiga, ou margarina vaqueiro
 25 g   de farinha de trigo
1,5 dl  de caldo de galinha (usar 1/2 caldo knorr)
3 colheres de sopa, de bom molho inglês
Sal e pimenta de moinho

Tempero da carne (opcional)

2 dentes grandes de alho
2 colheres de sopa de azeite
Sumo de limão

Preparação

Prepare o caldo de aves com o meio cubo de knorr.

Corte a carne às tiras finas, pode só salpicar com sal ou usar o tempero: com o alho esmagado.leves pedras de sal (contar com o caldo de galinha), salpicar com o sumo de limão e envolver com o azeite. Repousa por algum tempo, não devendo ultrapassar mais de uma hora.

Retire do frio 15 minutos antes de começar a cozinhar. (gosto de executar esta preparação num tacho). Coloque metade da manteiga, deixe que aqueça bem sem queimar e deite no tacho 1/4 da carne cortada, envolva rapidamente na gordura e mexa sem parar por alguns segundos, para evitar que a carne largue os sucos.






























Pode retirar para um recipiente sem tapar, mesmo que algum pedaço se encontre rosado, vai depois terminar a cozedura com as natas. Com a escumadeira escorra bem a carne, para continuar a ter manteiga para a carne restante. Se for pouca acrescente o suficiente para cobrir ligeiramente o fundo do tacho, deixe novamente aquecer bem e junte mais carne.

Repita os passos até terminar a carne. Deve ficar gordura suficiente para envolver a farinha, caso contrário acrescente mais manteiga, deite a farinha e deixe cozer uns segundos (quase como a base do bechamel), adicione o caldo de carne e mexa, raspando o fundo do tacho para soltar os resíduos do suco da carne.

Quando começar a ferver evite que queime e deixe ferver muito lentamente alguns minutos. Adicione as natas lentamente e verifique a textura que mais agradar, mexa bem e acrescente a carne e o suco que largou, deixe levantar fervura, retifique temperos e deite a pimenta de moinho e o molho Inglês, estes dois ingredientes deverão der adicionados com moderação.

Acompanhe a gosto: esparguete, arroz cozido em água e sal, batata frita...

Notas
  • Para que obtenha a carne macia e suculenta, basta seguir as indicações da receita
  • Outros sabores??   Pode substitui-los, pelo molho Inglês! 




























16 de janeiro de 2015

Bolo de Alfarroba com Laranja































Conhecia a Alfarroba por fotografias e pelas histórias que o meu marido conta de como em criança as saboreava trincando. Mas... que a minha filha descobre no Algarve a Quinta dos Avós, confeitaria com tradições que nos adoça a boca e regala a alma.

Até os olhos sorriram... e fiquei deliciada com tudo o que provei. Pena, que os D. Rodrigo sejam tão adulterados, sei, que os originais são de confeção delicada... 
Adorei o pão de alfarroba e brevemente aqui trarei o meu.




























E foi assim que a Alfarroba me encantou...  fui à procura, e encontrei esta receita que me seduziu,  experimentei com umas pequenas alterações e foi um sucesso. Como diz a autora: é um bolo fofo, úmido e o sabor envolvente da alfarroba e a frescura da laranja, dão-lhe um toque mágico.
























Ingredientes

5  ovos 
1  laranja grande, de preferência que tenha a casca com espessura de 1/2 cm
200 g  de óleo
270 g  de açúcar
80 g de farinha de alfarroba
130 g de farinha espiga
1 colher de chá de fermento em pó (7g)

Preparação
  • Antes de cortar a laranja, mergulhe-a em água fervente durante 1 minuto ou pouco mais, para eliminar a cera que a reveste. 
  •  No liquidificador coloque os ovos, a laranja cortada em 4 e retirados os topos, o óleo e o açúcar. 
  • Misture durante 1 minuto. Num recipiente coloque as farinhas e o fermento. Junte a mistura do liquidificador às farinhas.
  • Coloque  massa num forma untada com manteiga e polvilhada com farinha, leve ao forno pré aquecido a 180º C durante +/- 50 minutos. 
  • Mas se gostar do bolo bem úmido, 10 minutos antes faça o teste do palito, e, este deve sair com leves vestígios de massa, e ao toque dos dedos, não deve estar muito firme. 
  • deixe 10 minutos na forma em repouso e em seguida desenforme. Até arrefecer pode deixá-lo tapado com a forma, não seca e acaba por ganhar a consistência desejada.















































aqui... encontram a  receita original!!

11 de janeiro de 2015

Lingua Estufada à Portuguesa... com Salvia
















Uma nova receita para os fãs... das nossas tradições gastronómicas. Consta que vinda de outras paragens... aqui terá sido popularizada há mais de um século. Ganhando destaque e muitos admiradores, assim se tornou numa tradição das nossas cozinhas



















No século passado, teve grande protagonismo na mesa dos portuguesas e tornando-se uma iguaria muito desejada em ementas exigentes

Sendo a sua preparação um tanto delicada pode daí constituir impedimento para a sua confeção, mas conhecendo bem as técnicas de a preparar, torna-se mais fácil. E quando se gosta... não custa.







































Já preparo esta especialidade, há umas décadas... e cá em casa são fãs incondicionais!!


Ingredientes para a cozinhar a língua

2  línguas
1 pé de sálvia
1  cenoura 
1/2  cebola 
1/2  alho francês, folhas mais verdes
1 raminho de salsa
2  folhas de louro
1 colher de café de grãos de pimenta preta
2 colheres de sopa de azeite
3 rodelas de limão
sal








































Lave muito bem as zonas da língua que contenham vestígios de sangue e retire alguma pele que se encontre manchada.  



























  • Coloque-as ainda, numa bacia com água fria por 30 a 40 minutos: este é o processo para sangrar uma peça de carne.





























  • Coloque todos os ingredientes numa panela e deite água fria que considere suficiente para cobrir as línguas, tempere com um pouco de sal. Por precaução será melhor deitar  menos água e acrescentar depois, se necessário. 
  • Deixe ferver 10 minutos em lume brando e introduza as línguas no caldo.
  • quando levantar fervura e se houver alguma espuma, retire-a com a escumadeira.




























    • Tape a panela e deixe cozinhar lentamente 45 minutos, retire uma língua para um prato e verifique se é possível retirar a pele com facilidade, se tiver dificuldade deixe cozinhar mais 15 a 20 minutos, retire ainda as rodelas de limão.
    • Ao retirar a pele grossa que reveste a língua, terá menos dificuldade na parte da frente que se soltará facilmente, atrás, poderá ter que cortar essa pele mais espeça.
    • perfure com um espeto de madeira, se ainda estiver demasiado firme, leve a ferver lentamente no caldo mais algum tempo.
    • Como o caldo é muito aromatizado e se a deixar cozinhar quase por completo, pode então fatia-la e colocá-la assim no creme onde vai completar o cozimento.












    Ingredientes do refogado

    2  línguas - 1,5 kg
    1  cebola, média
    1  alho francês, pequeno
    2  tomates frescos, médios
    3  dentes de alho
    1  dl de azeite
    1/2  dl de vinho branco
    Sal, pimenta de moinho 
    1  raminho de Sálvia

    Escolhi esta erva aromática por me agradar o seu sabor ligeiramente apimentado e muito próprio.































    Preparação 

    • Para estufar as duas línguas utilize um recipiente grande para que não fique muita quantidade de carne sobreposta. 
    • Deite o azeite no tacho e aloure os alhos esmagados, junte a cebola, o alho francês, o tomate sem sementes grosseiramente cortados  e envolva, deixe ferver 5 minutos  sem queimar e refresque com o vinho branco.
    • Após mais alguns minutos de fervura adicione uma concha do caldo da cozedura e triture tudo com a varinha mágica. Volta novamente para o lume, deite a sálvia no tacho e mais caldo se necessário, levantando fervura coloque as fatias de carne, retifique os temperos e deite a pimenta de moinho. 
    • Ferve muito lentamente até a carne ficar ao seu gosto e pode acrescentar caldo se for necessário, verificando se não pega ao fundo do tacho.
    • Pode também terminar o cozimento com a língua inteira.
    Acompanhei esta especialidade: com as ervilhas à Inglêsa,  e o tradicional puré de batata, em queneles. 

    NOTA
    • O acompanhamento mais carateristico da Língua Estufada, é o puré de batata e ervilhas
    • A Sálvia é uma planta de aroma ligeiramente ativo e não deve ferver demasiado. Adicione aos poucos.
    • O caldo que é adicionado ao refugado, deve ser quado.